Dieta Cetogénica – A sua aplicação na perda de peso e rendimento desportivo

Feedback Blog OnVirtualGym
Feedback Blog OnVirtualGym

25 Fevereiro 2020 | Nutrição

25 Fevereiro 2020 | Nutrição

As primeiras evidências documentadas de resistência física durante uma dieta cetogénica foram observadas na expedição de Schwatka e remontam ao ano de 1878. Atualmente, as opções de dietas multiplicam-se e, apesar da dieta cetogénica não ser uma novidade no mundo da nutrição, a verdade é que a fama desta instalou-se. As dietas baixas em hidratos de carbono começaram a tornar-se populares entre atletas de resistência e para aqueles que apresentam como objetivo a perda de peso, já que a perda de peso e a melhoria na composição corporal encontram-se associadas à ingestão inferior a 50 gramas de hidratos de carbono por dia e pela diminuição do apetite associado a esta dieta.

A dieta cetogénica caracteriza-se por uma redução em hidratos de carbono (5-20%) com um aumento subsequente de gordura (60-80%) e proteína (15-20%). Assim, quando a ingestão de hidratos de carbono é quase restrita e a ingestão de gordura na dieta é aumentada, ocorre um estado metabólico chamado de cetose. Ou seja, ocorre uma alteração alimentar profunda ao ponto de fazer com que o organismo comece a obter energia através de corpos cetónicos. O objetivo primordial passa, então, por induzir um estado de cetose nutricional que conduz à degradação dos ácidos gordos para obtenção de energia e aumento benigno das cetonas circulantes na corrente sanguínea.

A adoção desta dieta parece uma questão controversa para indivíduos que realizam treino de força, uma vez que esta dieta foi projetada para reduzir os níveis de glicogénio muscular e reprimir o anabolismo muscular. Vejamos os efeitos secundários que advêm da utilização deste tipo de dieta, sobretudo associados à fase de adaptação que pode levar algumas semanas:

– Dor de cabeça;
– Obstipação;
– Cãibras musculares;
– Diarreia;
– Fraqueza geral;
– Mau hálito;
– Perda de massa corporal magra;
– Desidratação.

Embora a dieta cetogénica conte já com uma série de artigos na literatura onde apoiam o uso desta dieta como uma ferramenta na prática de exercícios de resistência, a verdade é que ainda existem poucas evidências. No entanto, vários são unanimes ao afirmar que a dieta cetogénica pode melhorar o desempenho do exercício e as respostas da composição corporal ao treino em atletas de resistência. Um estudo conduzido por Paoli e seus colaboradores, retratou a influência da dieta cetogénica vs dieta ocidental padrão no desempenho de força explosiva em ginastas de elite, chegando a mostrar e concluir que a dieta cetogénica pode levar à perda de peso e a melhoria da composição corporal sem afetar negativamente o desempenho de força e potência. Outros estudos sugerem que a dieta cetogénica pode ser útil para atletas de força encontrarem categorias de peso mantendo a potência. Contudo, esta dieta a longo prazo pode interferir com alguns mecanismos de hipertrofia muscular e isso pode ser contraproducente se o objetivo se prender em hipertrofiar.

Perda de Peso
Relativamente à perda de peso, sabemos de antemão que a palavra de ordem para o sucesso deste objetivo é o fator adesão, não descurando a individualidade da pessoa em questão.

Comparando uma dieta rica em hidratos de carbono com uma dieta rica em gorduras (dieta cetogénica), não existe, ainda, evidência de que há vantagens a longo prazo associadas à prática da dieta cetogénica, desde que o valor energético total e a quantidade de proteína sejam respeitados. A grande vantagem da dieta cetogénica passa, como já referimos anteriormente, pela supressão do apetite que esta dieta provoca.

Rendimento desportivo
Mais uma vez, tem-se observado uma maior utilização deste tipo de alimentação como ferramenta para aumento do rendimento desportivo.

Apesar de se observarem adaptações fisiológicas interessantes do ponto de vista atlético, como o aumento da oxidação da gordura no músculo, estas não permitem inferir que haverá uma melhoria no sentido de rendimento desportivo. Então, para não ser colocado em causa o rendimento do atleta durante o evento desportivo, o ideal será periodizar o consumo de hidratos de carbono por forma a maximizar as adaptações pretendidas.

Acabe com o papel no seu Ginásio! Form Check OnVirtualGym

Inove o seu modo de Reservas! Form Check OnVirtualGym

Otimize a produtividade da sua Equipa! Form Check OnVirtualGym

Simplifique o Acompanhamento Nutricional! Form Check OnVirtualGym

Aumente a Taxa de Retenção! Form Check OnVirtualGym

Form Check OnVirtualGym Acabe com o papel no seu Ginásio!

Form Check OnVirtualGym Inove o seu modo de Reservas!

Form Check OnVirtualGym Otimize a produtividade da sua Equipa!

Form Check OnVirtualGym Simplifique o Acompanhamento Nutricional!

Form Check OnVirtualGym Aumente a Taxa de Retenção!

Form Check OnVirtualGym Acabe com o papel no seu Ginásio!

Form Check OnVirtualGym Inove o seu modo de Reservas!

Form Check OnVirtualGym Otimize a produtividade da sua Equipa!

Form Check OnVirtualGym Simplifique o Acompanhamento Nutricional!

Form Check OnVirtualGym Aumente a Taxa de Retenção!

Conclusão

Em suma, mais informações são necessárias para confirmar os efeitos da dieta cetogénica em atletas de força, potência e também, para ajudar nutricionistas a elaborar planos nutricionais adequados para os atletas. A resposta final para o problema do excesso de peso não parece passar pela realização da dieta cetogénica. No entanto, esta pode ser uma alternativa para controlar a ingestão calórica e, por sua vez, atingir os resultados pretendidos.

 

Rachel M. Gregory, 2016;
Wesley C. Kephart, 2018;
Gibson AA, 2015;
Paoli, 2015;
McSwiney FT, 2018;
J Strength Cond Res., 2018.