Aspetos do impacto da Cafeína no Exercício Físico

Impacto da cafeína no exercício físico
Impacto da cafeína no exercício físico

28 Julho 2020 | Nutrição

28 Julho 2020 | Nutrição

Não é novidade que o café é uma das bebidas mais populares em todo o mundo e, umas das principais fontes de cafeína. Sabe-se ainda que o café apresenta maior popularidade entre atletas, uma vez que a cafeína parece melhorar o estado de alerta e o desempenho durante a realização dos exercícios de resistência.

A cafeína vem dos grãos de café mas também pode ser sintetizada em laboratório. Apresenta a mesma estrutura seja em café, bebidas energéticas, chá ou cápsulas. Independentemente das possíveis formas de ingestão, é recomendado que esta seja ingerida uma hora antes do treino, apresentando um aprimoramento de 4% dos resultados, quando ingerida em doses moderadas de 3 a 6 mg / Kg de massa corporal.

Inegavelmente, a cafeína apresenta um efeito no sistema nervoso central (interação neuroquímica), é um poderoso estimulante aumentando o desempenho cognitivo humano, sendo classificada como um nootrópico.

Por sua vez, melhora a atenção e diminuição dos sintomas de fadiga, bem como da redução da dor muscular esquelética, redução da perceção do esforço durante o exercício e aumento da sensação de força, influenciando assim os fatores motivacionais que sustentam o esforço durante o exercício.

Adicionalmente, a cafeína pode desempenhar um papel na recuperação pós-treino, através da reposição de glicogénio quando ingerida com hidratos de carbono.

Inevitavelmente, os efeitos da cafeína são diferentes de pessoa para pessoa, sendo que estes efeitos se encontram associados a um componente genético. A degradação da cafeína (metabolismo) pelo organismo é diferente, logo a resposta também será diferente.

Curiosamente, atletas que acreditam que a cafeína poderá melhorar o desempenho físico, observam um efeito maior no aprimoramento do desempenho durante o exercício do que aqueles que não acreditam.

Um estudo conduzido por Juan Mielgo-Ayuso e seus colaboradores, apresentava como principal objetivo analisar e, comparar os efeitos da ingestão do suplemento de cafeína entre homens e mulheres no desempenho desportivo com intuito de transmitir uma fonte de conhecimento para praticantes e treinadores de desporto, especialmente para aqueles que trabalham com mulheres atletas sobre o uso de cafeína, chegando mesmo a concluir que os efeitos da cafeína para produzir mais potência, maior peso total levantado e o desempenho de sprint, em relação ao grupo placebo foi maior em homens do que em mulheres, apesar da mesma dose de cafeína administrada.

Apesar de todas as vantagens associadas ao efeito da cafeína, existem algumas desvantagens associadas, nomeadamente a qualidade do sono. Indivíduos que consomem vários cafés por dia e quando estes já não apresentam qualquer estimulação provocada pela cafeína, não significa que a cafeína já não faz efeito e por sua vez não afetará a qualidade do sono. Em boa verdade, dado que a cafeína ativa o estado de alerta, o sono será mais superficial, prejudicando desta forma a qualidade do sono, mesmo que a cafeína não o impeça de adormecer. A cafeína deve ser evita durante as 6 horas antes de dormir.

Relativamente à tolerância à cafeína, beber apenas um café por dia é o suficiente para aumentar a sua tolerância. Quando o objetivo é maximizar os efeitos associados à cafeína o ideal é diminuir esta tolerância, limitando a ingestão de cafeína uma a duas vezes por semana, pois parece ser suficiente para rentabilizar este efeito. Os indivíduos que raramente consomem cafeína, normalmente experimentam uma maior produção de energia durante a execução de exercícios.

Quanto à comumente associação de que a ingestão de café desidrata, as recomendações são esclarecedoras. É recomendado beber um copo de água a cada chávena de café ingerido, pois as necessidades hídricas diárias podem ir de 1,5L a 3,7L e as bebidas que contém cafeína não se encontram incluídas nesta recomendação.

A cafeína (cápsulas, comprimidos e pó) não produz efeitos negativos no desempenho do exercício. No entanto, é de dar preferência a bebidas sem cafeína quando é necessária uma hidratação muito rápida.

Por fim, a cafeína também pode contribuir para a queima de gordura, através do efeito termogénico a curto prazo, aumentando a produção de calor e, um efeito lipolítico a longo prazo, uma vez que a cafeína faz com que os triglicerídeos libertem ácidos gordos e estes podem ser usados como fonte de energia.

Acabe com o papel no seu Ginásio! Form Check OnVirtualGym

Inove o seu modo de Reservas! Form Check OnVirtualGym

Otimize a produtividade da sua Equipa! Form Check OnVirtualGym

Simplifique o Acompanhamento Nutricional! Form Check OnVirtualGym

Aumente a Taxa de Retenção! Form Check OnVirtualGym

Form Check OnVirtualGym Acabe com o papel no seu Ginásio!

Form Check OnVirtualGym Inove o seu modo de Reservas!

Form Check OnVirtualGym Otimize a produtividade da sua Equipa!

Form Check OnVirtualGym Simplifique o Acompanhamento Nutricional!

Form Check OnVirtualGym Aumente a Taxa de Retenção!

Form Check OnVirtualGym Acabe com o papel no seu Ginásio!

Form Check OnVirtualGym Inove o seu modo de Reservas!

Form Check OnVirtualGym Otimize a produtividade da sua Equipa!

Form Check OnVirtualGym Simplifique o Acompanhamento Nutricional!

Form Check OnVirtualGym Aumente a Taxa de Retenção!

 Fontes:

Juan Mielgo-Ayuso, 2019;

Meeusen R, 2013;

Examine.com